Artigo original
Alterações da função tiroideia numa população infetada pelo vírus da imunodeficiência humana tipo 1 sob terapêutica antirretrovírica combinada
Changes in thyroid function in a human immunodeficiency virus type 1 infected population on combined antiretroviral therapy
Rita Bettencourt‐Silvaa,, , Davide Carvalhoa,b, Maria João Matosa,b, Ana Cristina Santosc, Sandra Xerindad, António Sarmentod, Paula Freitasa,b
a Serviço de Endocrinologia, Diabetes e Metabolismo, Centro Hospitalar de São João, Porto, Portugal
b Serviço de Endocrinologia, Diabetes e Metabolismo, Faculdade de Medicina da Universidade do Porto, Porto, Portugal
c Serviço de Epidemiologia Clínica, Medicina Preditiva e Saúde Pública, Faculdade de Medicina da Universidade do Porto, Porto, Portugal
d Serviço de Doenças Infeciosas, Centro Hospitalar de São João e Faculdade de Medicina da Universidade do Porto, Porto, Portugal
Recebido 10 Janeiro 2015, Aceitaram 05 Maio 2015
Resumo
Introdução

As alterações da função tiroideia são comuns nos doentes infetados pelo vírus da imunodeficiência humana (VIH). A prevalência de condições geralmente assintomáticas (como o hipotiroidismo subclínico) está aumentada e a doença de Graves pode ocorrer durante a reconstituição imune associada à terapêutica antirretrovírica combinada (TARC).

Objetivo

O objetivo deste estudo é avaliar a presença de doença tiroideia em doentes infetados pelo VIH‐1 sob TARC numa consulta cardiometabólica de endocrinologia associada ao VIH.

Métodos

Estudo transversal de 377 doentes infetados pelo VIH‐1 sob TARC.

Resultados

Trezentos e trinta e oito doentes (89,66%) eram eutiroideus. Encontrámos alterações da glândula tiroideia em 10,34% (39/377): 1,33% (5/377) doença de Graves; 1,06% (4/377) tiroidite de Hashimoto; 0,80% (3/377) microcarcinoma papilar da tiroide; 0,53% (2/377) bócio multinodular tóxico; 2,12% (8/377) hipotiroidismo subclínico; 0,265% (1/377) hipotiroidismo pós‐cirúrgico; 0,53% (2/377) hipertiroidismo subclínico; 1,59% (6/377) deficiência isolada de T4L e 2,12% (8/377) síndrome do eutiroideu doente.

Conclusões

Nesta população de doentes do ambulatório a prevalência de alterações da função tiroideia foi baixa quando comparada com outros estudos em doentes com VIH sob TARC (com prevalência de disfunção até 35%), aproximando‐se da prevalência estimada na população geral. As alterações mais frequentes foram o hipotiroidismo subclínico e a doença de Graves.

Abstract
Introduction

Changes in thyroid function are common in HIV‐infected patients. The prevalence of conditions usually asymptomatic (such as subclinical hypothyroidism) is increased and Graves’ disease may occur during immune reconstitution associated with combined antiretroviral therapy (cART).

Aim

The aim of this study is to evaluate the presence of thyroid disease in HIV‐1 infected patients on cART in a cardiometabolic Endocrinology Out‐patient Clinic associated with HIV.

Methods

Cross‐sectional study of 377 HIV‐1 infected patients on cART.

Results

Three hundred and thirty‐eight patients (89.66%) were euthyroid. We found thyroid changes in 10.34% (39/377): 1.33% (5/377) Graves’ disease; 1.06% (4/377) Hashimoto's thyroiditis; 0.80% (3/377) papillary thyroid microcarcinoma; 0.53% (2/377) toxic multinodular goiter; 2.12% (8/377) subclinical hypothyroidism; 0.265% (1/377) postsurgical hypothyroidism; 0.53% (2/377) subclinical hyperthyroidism; 1.59% (6/377) low FT4 level and 2.12% (8/377) euthyroid sick syndrome.

Conclusion

The prevalence of thyroid function changes in this ambulatory population was low when compared with other studies in HIV‐patients on cART (dysfunction prevalence of up to 35%), approaching the estimated prevalence in general population. The most common abnormalities were subclinical hypothyroidism and Graves’ disease.

Palavras‐chave
Vírus da imunodeficiência humana, Terapêutica antirretrovírica, Tiroide, Lipodistrofia
Keywords
Human immunodeficiency virus, Antiretroviral therapy, Thyroid, Lipodystrophy

Open Access

Licença Creative Commons
Revista Portuguesa de Endocrinologia, Diabetes e Metabolismo está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.

+ info