Artigo de Revisão
Rastreio populacional de aneurisma da aorta abdominal em Portugal – o imperativo da sua realização
Population screening for abdominal aortic aneurysm in Portugal – the imperative of its realization
Ricardo Castro‐Ferreiraa,b,, , Pedro Mendesc, Pedro Coutoc, Rosa Barreirac, Fabiana Peixotoc, Margarida Aguiarc, Marina Netoa,b, Dalila Rolimb, José Pintoa,b, Alberto Freitasd, Paulo Gonçalves Diasa, Sérgio Moreira Sampaioa,d, Adelino Leite‐Moreiraa,b, Armando Mansilhaa,b, José Fernando Teixeiraa
a Serviço de Angiologia e Cirurgia Vascular, Centro Hospitalar de São João, Porto, Portugal
b Departamento de Fisiologia e Cirurgia Cardiotorácica, Unidade de Investigação e Desenvolvimento Cardiovascular, Faculdade de Medicina, Universidade do Porto, Porto, Portugal
c Unidade de Saúde Familiar de Valongo, Valongo, Portugal
d Centro de Investigação e Tecnologia de Informação em Sistemas de Saúde (CINTESIS) e Departamento de Ciências da Informação e da Decisão em Saúde, Faculdade de Medicina, Universidade do Porto, Porto, Portugal
Recebido 12 Junho 2016, Aceitaram 26 Setembro 2016
Resumo

Em Portugal, a relação entre o número de aneurismas da aorta abdominal (AAA) tratados e a população total é das mais baixas descritas na literatura. Este fenómeno poderá ser justificado pelo défice de diagnóstico ou pela reduzida prevalência da doença na nossa população. Até à data, nenhum rastreio populacional sistemático foi realizado em Portugal. O rastreio oportunístico «A aorta não avisa» descreveu uma prevalência de 2,4% na população avaliada. Vários estudos demonstram o benefício do rastreio populacional de AAA, tendo‐se verificado diminuição da mortalidade específica e por todas as causas, pelo que este já é recomendado pelas principais sociedades internacionais de cirurgia vascular – European Society for Vascular Surgery (nível 1 recomendação) e Society for Vascular Surgery (nível 2 de recomendação) em homens com mais de 65 anos. Para além da sua justificação académica e científica, as vantagens de um programa de rastreio em termos de saúde pública são inegáveis e irrefutáveis com base na evidência atual.

Abstract

In Portugal, the number of abdominal aortic aneurisms (AAA) treated in relation with its population is among the lowest in the literature. This phenomenon can be explained by a low diagnostic rate or a reduced prevalence of AAA in our population. To date, no systematic population screening was conducted in Portugal. The opportunistic screening “A aorta não avisa” described a prevalence of 2.4% in our population. Several studies have shown the benefit of population screening for AAA, by describing a significant decrease in specific and all‐cause mortality. In that way, the screening is already recommended in men over 65 years by the leading international Vascular Surgery societies ‐ European Society for Vascular Surgery (level 1 recommendation) and Society for Vascular Surgery (level 2 recommendation). In addition to its academic and scientific justification, based on the current evidence, the benefits of an AAA screening program in terms of public health are undeniable and irrefutable.

Palavras‐chave
Aneurisma da aorta abdominal, Prevalência, Rastreio populacional
Keywords
Abdominal Aortic Aneurysm, Prevalence, Population Screening

Open Access

Licença Creative Commons
Angiologia e Cirurgia Vascular está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.

+ info