Artigo original
Literacia em saúde, dos dados à ação: tradução, validação e aplicação do European Health Literacy Survey em Portugal
Health Literacy, from data to action: Translation, validation and application of the European Health Literacy Survey in Portugal
Ana Rita Pedroa,, , Odete Amaralb, Ana Escovala
a Departamento de Políticas e Gestão de Serviços de Saúde, Escola Nacional de Saúde Pública, Universidade Nova de Lisboa, Lisboa, Portugal
b Unidade de Enfermagem de Saúde Pública, Familiar e Comunitária, Escola Superior de Saúde de Viseu, Instituto Politécnico de Viseu, Viseu, Portugal
Received 06 January 2016, Accepted 18 July 2016
Resumo

Nos últimos anos, diferentes estudos têm demonstrado que um nível inadequado de literacia em saúde pode ter implicações significativas nos resultados em saúde, na utilização dos serviços de saúde e, consequentemente, nos gastos em saúde. O conceito de literacia em saúde evoluiu de uma definição meramente cognitiva para uma definição que engloba as componentes pessoal e social do indivíduo, assumindo‐se como a capacidade de tomar decisões fundamentadas no seu dia‐a‐dia.

O presente estudo transversal analítico teve como objetivo traduzir e validar para a população portuguesa o European Health Literacy Survey (HLS‐EU).

O HLS‐EU‐PT foi aplicado em todo o território nacional, incluindo as regiões autónomas, através de investigadores de uma rede académica. A recolha de dados foi realizada por entrevista presencial. A amostra final ficou constituída por 1.004 indivíduos com idades ≥16 anos.

Este estudo disponibilizou o instrumento de avaliação do nível de literacia para a saúde em Portugal, tão importante na gestão da saúde.

O HLS‐EU‐PT apresenta‐se como um instrumento adequado para aferir o nível de literacia em saúde da população portuguesa e evidencia propriedades psicométricas comparáveis às versões utilizadas nos outros países.

Em Portugal, 61% da população inquirida apresenta um nível de literacia geral em saúde problemático ou inadequado, situando‐se a média dos 9 países em 49,2%.

Relativamente à dimensão cuidados de saúde, apenas 44,2% apresenta um nível suficiente ou excelente de literacia em saúde. No que respeita à prevenção da doença, cerca de 45% dos inquiridos revela ter um nível suficiente ou excelente de literacia em saúde, comparativamente com a média dos 9 países, que nesta dimensão apresenta o valor de 54,5%. Na dimensão promoção da saúde, 60,2% da população auscultada apresenta um nível de literacia em saúde problemático ou inadequado, sendo que a média se situa nos 52,1%.

Assim, considera‐se fundamental e urgente a conceção e implementação de uma estratégia nacional de literacia em saúde.

Abstract

In the last few years, several studies have shown that inadequate health literacy levels can have significant implications in health outcomes, in the use of health care services and, consequently, in health costs. The concept of health literacy has changed from a purely cognitive definition to a definition that includes the personal and social components of the individual, assuming the ability to make informed decisions in their everyday life.

This analytical cross‐sectional study aimed to translate and validate the European Health Literacy Survey (HLS‐EU) to the Portuguese population.

The HLS‐EU‐PT has been applied throughout the country, including the autonomous regions, through research of an academic network. Data collection was conducted by personal interview. The final sample was composed of 1004 individuals aged ≥16 years.

This study provided the assessment tool of literacy level for health in Portugal, so important in health management.

The HLS‐EU‐PT is an adequate instrument to measure the health literacy levels of Portuguese population and shows comparable psychometric properties to versions used in the other countries.

In Portugal, 61% of the surveyed population has general health literacy level problematic or inadequate, reaching the average of the nine countries in 49.2%.

Concerning the Healthcare dimension, only 44.2% have a sufficient or excellent level of health literacy. In terms of disease prevention, about 45% of respondents reveal a sufficient or excellent level of health literacy, and the average stands at 54.5%. In Health Promotion dimension about 60.2% of the auscultated population has an health literacy level problematic or inappropriate, and the average stands at 52.1%.

Therefore, it is fundamental and urgent to design and implement a National Strategy for Health Literacy.

Palavras‐chave
Literacia em saúde, Estudos de validação, Questionários
Keywords
Health Literacy, Validation studies, Surveys

Metrics

  • SCImago Journal Rank (SJR):0,117
  • Source Normalized Impact per Paper (SNIP):0,137

Open Access

Creative Commons License
Revista Portuguesa de Saúde Pública is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial-NoDerivatives 4.0 International License.

+ info