Review Article
Measurement of physical performance by field tests in programs of cardiac rehabilitation: A systematic review and meta-analysis
Medida do desempenho físico por testes de campo em programas de reabilitação cardiovascular: revisão sistemática e meta-análise
Cristiane Travensoloa, Karla Goesslerb, Roberto Potona, Roberta Ramos Pintoa, Marcos Doederlein Politoa,,
a Departamento de Educação Física, Universidade Estadual de Londrina, Londrina, PR, Brazil
b Research Centre for Cardiovascular and Respiratory Rehabilitation, Catholic University of Leuven, Leuven, Belgium
Abstract
Introduction

The literature concerning the effects of cardiac rehabilitation (CR) on field tests results is inconsistent.

Purpose

To perform a systematic review with meta-analysis on field tests results after programs of CR.

Methods

Studies published in PubMed and Web of Science databases until May 2016 were analyzed. The standard difference in means correct by bias (Hedges’ g) was used as effect size (g) to measure que amount of modifications in performance of field tests after CR period. Potential differences between subgroups were analyzed by Q-test based on ANOVA.

Results

Fifteen studies published between 1996 and 2016 were included in the review, 932 patients and age ranged 54.4-75.3 years old. Fourteen studies used the six-minutes walking test to evaluate the exercise capacity and one study used the Shuttle Walk Test. The random Hedges's g was 0.617 (p<0.001), representing a drop of 20% in the performance of field test after CR. The meta-regression showed significantly association (p=0.01) to aerobic exercise duration, i.e., for each 1-min increase in aerobic exercise duration, there is a 0.02 increase in effect size for performance in the field test.

Conclusion

Field tests can detect physical modification after CR, and the large duration of aerobic exercise during CR was associated with a better result.

Resumo
Introdução

A literatura mostra-se inconsistente sobre o efeito da reabilitação cardiovascular (RVC) nos resultados de testes de campo.

Objetivo

Fazer uma revisão sistemática com meta-análise sobre os resultados de testes de campo usados em programas de RCV.

Métodos

Foram analisados estudos publicados nas bases de dados PubMed e Web of Science até maio de 2016. O tamanho do efeito (g) foi definido como a diferença média padronizada corrigida por viés (g de Hedges) e foi usado para medir a quantidade de modificações no desempenho do teste após o período de RCV. Diferenças potenciais entre os subgrupos foram testadas pelo teste Q baseado na análise de variância.

Resultados

Compuseram a revisão 15 estudos publicados entre 1996 e 2016, com amostra total de 932 pacientes e idade entre 54,4 e 75,3 anos. Catorze estudos usaram o teste de caminhada de 6 min para avaliar a capacidade de exercício e um estudo usou o Shuttle Walk Test. O g de Hedges pela análise aleatória foi de 0,617 (p < 0,001), representou aumento de 20% no desempenho do teste de campo após a RCV. A metarregressão mostrou associação significativa (p = 0,01) para a duração do exercício aeróbio, ou seja, para cada aumento de 1 min na duração do exercício ocorre o aumento de 0,02 no efeito para o desempenho no teste de campo.

Conclusão

Testes de campo identificam mudanças após a RCV e a maior duração do exercício aeróbio durante a RCV se associa com um melhor resultado.

Keywords
Exercise test, Physical conditioning, Cardiovascular physiology
Palavras-chave
Teste de exercício, Condicionamento físico, Fisiologia cardiovascular

Metrics

  • Impact Factor: 0.827(2017)
  • 5-years Impact Factor: 0,775
  • SCImago Journal Rank (SJR):0,267
  • Source Normalized Impact per Paper (SNIP):0,419